Sobe para 100 o número de mortos após enchentes que atingem o RS - David Gouveia Notícias

DENGUE

DENGUE

Última

08/05/2024

Sobe para 100 o número de mortos após enchentes que atingem o RS


Equipes utilizam moto aquática para resgatar vítimas da enchente em Porto Alegre (RS)Donaldo Hadlich/Código 19/Estadão Conteúdo

A Defesa Civil do Rio Grande do Sul informou, em balanço divulgado no início da tarde desta quarta-feira (8), que chegou a 100 o número de pessoas mortas em decorrência das chuvas que castigam o estado desde o início da semana passada. Há ainda 372 feridos e 128 desaparecidos.

Em todo o estado, 1.456.820 pessoas foram afetadas em 417 municípios. Desse total, 163.720 estão desalojadas e 66.761 foram levadas a abrigos temporários. Veja aqui a lista das cidades afetadas.

Além das mortes confirmadas, o estado tem quatro óbitos sob investigação. Isso quer dizer que as autoridades ainda estão aguardando confirmação para saber se essas mortes têm ou não relação com as chuvas.

Veja o balanço:
Óbitos confirmados: 100
Óbitos em investigação: 4
Municípios afetados: 417
Pessoas afetadas: 1.456.820
Desalojados: 163.720
Pessoas em abrigos: 66.761
Feridos: 372
Desaparecidos: 128

Nível do Guaíba começa a baixar

Às 11h desta quarta, o nível do lago Guaíba, em Porto Alegre, chegou a 5,10 metros. O nível mais alto desde a semana passada foi de 5,33 metros, registrado às 8h do domingo (5) e às 20h da segunda-feira (6).

Apesar da queda, a situação ainda é bastante preocupante, já que a cota de alerta é de 2,5 metros e a cota de inundação, de 3 metros. Até então, o nível mais alto que havia sido registrado no Guaíba foi em 1941, quando ficou entre 4,75 e 4,76 metros.

Estado deverá receber mais chuvas
O Rio Grande do Sul deverá continuar a receber chuvas de alta intensidade e com fortes rajadas de vento até o fim de semana, segundo previsão da Climatempo.

O estado deverá ser atingido, a partir de hoje, por uma frente fria formada após a formação de um ciclone extratropical em alto mar na Argentina. O sul do estado e as áreas que fazem fronteira com o Uruguai têm alerta para perigo extremo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Responsive Ads Here