Morre mulher Yanomami fotografada em estado de desnutrição - David Gouveia Notícias

DENGUE

DENGUE

Última

23/01/2023

Morre mulher Yanomami fotografada em estado de desnutrição

Ao informar o óbito, a associação pediu que a imagem dela não seja mais compartilhada, em respeito à cultura Yanomami


Morreu a mulher Yanomami fotografada em estado grave de desnutrição, costelas aparentes e corpo debilitada. A morte dela foi divulgada neste domingo (22) pela associação Urihi. Ela era da comunidade Kataroa, onde há forte presença de garimpeiros ilegais e casos de dezenas de crianças doentes.

De acordo com o portal G1, ao informar o óbito, a associação pediu que a imagem dela não seja mais compartilhada, em respeito à cultura Yanomami. “Durante a visita a comunidade Kataroa, nesta última semana, recebemos a informação que a senhora Yanomami da imagem, veio a óbito por conta do seu grave estado de desnutrição. Gostaríamos de pedir a todos que evitem a partir deste momento o compartilhamento da imagem dela”, pediu a Urihi, que tem como presidente o ativista e líder indígena Júnior Hekurari Yanomami.

A foto mulher foi divulgada em dezembro do ano passado pela Urihi junto à outras imagens que denunciavam a crise sanitária na saúde do povo Yanomami.
A imagem mostrava a vítima com o corpo debilitado, enquanto era sustentada em pé por uma agente de saúde ao pesá-la numa balança.

Ainda de acordo com a publicação, ao pedir que as pessoas não compartilhem mais a imagem da vítima, Hekurari disse entender a importância de levar ao mundo a situação drástica, no entanto, a cultura do luto deve ser respeitada.

“Na cultura Yanomami, após o falecimento, não pronunciamos o nome da pessoa. Queimamos todos os seus pertences, e não permitimos que fotografias permaneçam sendo divulgadas. Estamos vivenciando uma crise humanitária, e sabemos que o governo se mobilizou buscando ações que ofereçam todo o suporte que a população necessita neste momento”, reforçou.

Hekurari também presidente do Conselho Distrital de Saúde Indígena Yanomami e Ye’kwana (Condisi-YY) e acompanha equipes do Ministério da Saúde nos atendimentos emergenciais que têm sido feitos desde o dia 16.

Maior reserva indígena do Brasil, a Terra Yanomami registra nos últimos anos agravamento na saúde dos indígenas, com casos graves de crianças e adultos com desnutrição severa, verminose e malária, em meio ao avanço do garimpo ilegal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Responsive Ads Here