Pastor Marco Feliciano é acusado de assédio sexual e tentativa de estupro - David Gouveia Notícias

DENGUE

DENGUE

Última

03/08/2016

Pastor Marco Feliciano é acusado de assédio sexual e tentativa de estupro

A agressão teria ocorrido no apartamento funcional do parlamentar em Brasília, na manhã do dia 15 de junho 

Uma estudante de Brasília, de 22 anos, militante da Juventude do PSC (Partido Social Cristão), acusa o deputado federal Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) de assédio sexual, agressão grave e tentativa de estupro. A informação é do colunista Leonardo Mazzini, do portal Uol, que se encontrou com a jovem e com o assessor do PRB, Emerson Biazon, que prestava orientação à vítima.

A estudante conta ser youtuber, cristã e frequentadora da mesma igreja de Feliciano. Os dois passaram a ser amigos quando ele propôs ser guia espiritual dela. A agressão teria ocorrido no apartamento funcional do parlamentar em Brasília, na manhã do dia 15 de junho deste ano. Ela foi agredida e por pouco não foi forçada a fazer sexo com o deputado. A jovem relata que Feliciano chegou a propôr que ela se tornasse sua amante, com um alto salário e cargo comissionado no PSC. Marco Feliciano é casado com Edileusa de Castro Silva Feliciano e tem três filhas.

A vítima possui transcrições e prints das conversas que teria mantido com o deputado pelo WhatsApp. Segundo a jovem, em um encontro há semanas, ele pegou o celular à força e apagou todas as mensagens entre eles, mas a estudante conseguiu resgatá-las no iCloud de seu computador. De acordo com a reportagem do UOL, dois funcionários do PSC confirmaram que o número do celular era o pessoal usado pelo pastor-deputado.

Após resolver denunciar o caso, a jovem sofreu assédio moral de diversas pessoas, incluindo políticos do PSC e assessores de Marco Feliciano. Com medo, saiu de Brasília e ficou fora de contato por algum tempo. Entretanto, após seu ex-professor Hugo Studart publicar na sua página no Facebook o caso, nomeando Feliciano e citando as iniciais da garota ela resolveu se manifestar. Mais tarde o post foi tirado do ar e o docente nega ter sido ele a fazê-lo. Supreendentemente, a jovem gravou um vídeo de poucos segundos elogiando Feliciano e chamando o professor de mentiroso. Após ter sido confrontada pelo repórter, a estudante retirou o vídeo do ar.

´Procurada, a assessoria do deputado respondeu em nota oficial desconhecer as acusações e mensagens no WhatsApp. "Informo que desconheço tais acusações e as referidas mensagens postadas. Conheço a jovem por meio de sua participação no PSC, é uma grande lutadora contra o aborto e a favor das causas sociais. A conheço da mesma forma que conheço tantos outros jovens ao meu redor. Tenho uma honra ilibada e tais acusações são descabidas. Respeito minha família, o povo brasileiro e principalmente minha fé! E peço que assim o façam! Assim eu encerro tal assunto, deixando nas mãos das autoridades", diz o texto.



  por Diário de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Responsive Ads Here