ANUNCIAE AQUI!


19/06/2020

‘Vivemos tempos estranhos no Brasil’, diz Wagner sobre bloqueio de bens


Senador criticou o fato de não ter sido ouvido e informou que decisão foi revista, com redução do valor bloqueado
Foto: Agência Senado

O senador Jaques Wagner (PT-BA) classificou de matéria requentada o bloqueio de bens de que foi alvo por decisão do juiz Glauco Dainese de Campos, da 7ª Vara de Fazenda Pública. “Trata-se de matéria requentada, uma vez que processo criminal sobre o tema já foi arquivado e o eleitoral segue em curso”, destaca, em nota enviada via assessoria.

Na nota, Wagner criticou o fato de a decisão ter sido tomada sem ouvi-lo e informou que o próprio magistrado reviu parcialmente sua decisão, ao reduzir os valores bloqueados – de R$ 7 milhões para R$ 150 mil.

“Vivemos tempos estranhos no Brasil, em que processos são mantidos sob sigilo até das partes, mas divulgados para causar confusão na opinião pública”, concluia nota da assessoria. O parlamentar petista frisou que estará a disposição da Justiça para prestar esclarecimentos.

A ação julga um desdobramento das investigações da Operação Lava-Jato. Segundo a acusação, Wagner teria recebido uma doação de R$ 3,5 milhões da Odebrecht e da cervejaria Petrópolis.

Confira, abaixo, a integra da nota:

Informamos que o senador Jaques Wagner recebeu com surpresa a decisão de bloqueio parcial de valores. Decisão já revista pelo próprio magistrado que, de ofício, determinou o desbloqueio da quase totalidade da quantia em nome do senador.

Causa estranheza o fato de o processo, que estava mantido sob sigilo, tenha sido divulgado antes de ouvir o maior interessado, que é o senador. Trata-se de matéria requentada, uma vez que processo criminal sobre o tema já foi arquivado e o eleitoral segue em curso. Mesmo assim, determinaram um bloqueio de valores fruto de um processo ajuizado há seis meses sobre supostos fatos de seis anos atrás.

O senador considera que vivemos tempos estranhos no Brasil, em que processos são mantidos sob sigilo até das partes, mas divulgados para causar confusão na opinião pública.

De toda forma, a decisão será objeto de recurso e o senador permanecerá, como sempre esteve, à disposição para os esclarecimentos que forem necessários.

bahiaba

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial