ANUNCIAE AQUI!



16/10/2021

Seca na Bahia atinge mais de 1 milhão de pessoas

 


A Bahia está com 101 municípios com decretos de emergência por seca/estiagem reconhecidos pelo estado e 97 com reconhecimento também pela Defesa Civil nacional, atingindo diretamente uma população de mais de um milhão de pessoas que necessitam de água através de programas da União e do Estado.

Nesta situação estão os moradores do município de Remanso, vizinho ao Lago de Sobradinho, que enfrentam sérias dificuldades de acordo com o diretor do Sindicato dos Produtores Rurais de Remanso, João Neto.

Ele afirmou que na última temporada as chuvas não caíram conforme o esperado e por isso muitas lagoas, aguadas e barragens estão secando totalmente. Ele citou como exemplos a Lagoa da comunidade de Igarapé e a barragem da comunidade dos Negros, um dos maiores reservatórios da zona rural do município.

Segundo o diretor sindical, este ano não teve colheita, porque as chuvas esperadas para os primeiros meses do ano não foram suficientes e as sementes que plantaram foram perdidas. Disse ainda que o custo de ração para manter os animais “está alto demais e muitos produtores rurais não sabem o que fazer”.

Na região do Sertão do São Francisco, Remanso, tem decretos de emergência por seca, reconhecida pelo estado e pela União. A distribuição de água acontece pela Operação Carro Pipa através do Exército. “Mas não chega em todas as casas e está uma loucura a procura por água”, enfatizou Neto.

O produtor rural pontuou que “tem muita água ainda no rio São Francisco, apesar de estar baixando também. O problema é que esta água não chega nas nossas comunidades”, criticou. Segundo João Neto, a esperança é para chuvas no final de outubro e novembro. “Se chover bem, melhora em 70% o sofrimento da população”, concluiu.

Embora a maioria dos municípios que enfrentam a situação de seca no estado seja atendida pelo Programa do Exército, 18 municípios baianos recebem água através do programa do governo estadual.

Incêndios florestais

Além da seca, que é um problema cíclico em diversas regiões onde não chove por vários meses do ano com reflexo na sobrevivência da população, o clima deste período favorece ainda os incêndios florestais.

De acordo com o programa de Queimadas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) este ano já foram detectados 13.558 focos de calor na Bahia. O aumento foi de 112% em relação ao mesmo período de 2020, quando 6.389 focos foram registrados pelo programa.

Essa condição levou o estado a declarar situação de emergência por causa dos incêndios em 16 municípios, principalmente das regiões Oeste, Chapada, Vale do São Francisco e Sudoeste.

Com vigência até 11 de janeiro de 2022, o decreto proíbe qualquer atividade com potencial de geração de novos focos de incêndio, autoriza a mobilização de todos os órgãos estaduais e a convocação de voluntários, bem como dispensa de licitação para aquisição de bens, de prestação de serviços e de obras relacionadas ao combate das queimadas.

Fonte:atarde.uol

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial